sexta-feira, 18 de outubro de 2013

No fundo somos tão frágeis

via Tumblr
Conversando com a minha irmã sobre as notícias da Usina Nuclear de Fukushima no Japão. Segundo essas notícias, aproximadamente daqui a um mês há um risco da usina explodir e aumentar a contaminação do ar e do mar devido a uma limpeza para tirar tubos de combustíveis de tanques danificados.
Não sei até que ponto tudo isso é realmente alarmante para a vida humana, só que esse assunto me fez mais uma vez pensar sobre a vulnerabilidade da existência humana, de um controle que o ser humano procura e que não traz o domínio realmente, só mostra como somos frágeis.
Não odeio tudo o que a humanidade construiu só que acho que as coisas estão indo longe demais. Queria que algo ocorresse com o planeta não para destruir tudo, mas que levasse as pessoas a precisarem umas das outras novamente, para construírem uma vida comunitária, para se sentiram parte da natureza, pertencentes ao ciclo da vida como os outros animais.
Como ainda não encontramos respostas para questões tão antigas como Quem somos e Para onde vamos, essa incerteza faz a espécie humana buscar segurança e domínio sobre as coisas, sobre as próprias pessoas, sobre os animais sobre a vida.
Eu queria pensar que estou sonhando e que amanhã acordarei em uma sociedade mais presente. Mas, não presente pela capacidade da internet de nos levar a qualquer lugar em tempo real.
Presente de corpo e consciência. Presente para ouvir o outro, para se ouvir, para viver no que está ao redor e não em um mundo idealizado e superficial cheio de falsos compensadores que criam necessidades que no fundo não precisamos.
Já tentei conversar com outras pessoas sobre esses assuntos, mas parece que ninguém está disposto a falar. Estão alienados, em seu próprio mundo vivendo uma vida virtual e esquecem ou fingem esquecer que fazem parte do planeta também.
Bom, só queira uma vida mais humana.





5 comentários:

Bruna disse...

Penso muito sobre a extrema fragilidade dos humanos, e às vezes simplesmente tento ignorar para não enlouquecer! As pessoas se importam em ter muitas curtidas, mas no "mundo real" não se empenham em ser simpáticas e bondosas. Eu mesma sinto que estou cada vez mais reclusa, preferindo uma mensagem à ter que conversar, ouvir e falar. Isso é assustador, em que estamos nos metamorfoseando?

Anna - Eu Crio Moda disse...

Somos muito frágeis e as pessoas esquecem que vivemos em cidades é pq precisamos um dos outros...

Sabrina Alves. disse...

Somos como porcelanas, frágeis demais. E é verdade, o mundo está se esquecendo do que realmente importa, o mundo está dando valor ao que não deve ser dado e ignorando o que não deve ser ignorado.

Andressa, teu blog é simplesmente lindo, suave e fofo.
Estou seguindo!

http://doceuniversoparticular.blogspot.com.br/

Rita P. disse...

gostei do teu texto, é tão verdade!!

Dasty-Sama disse...

Realmente, também pensei nisso quando vi essa notícia. Estamos tão acostumados a viver, que esquecemos o quanto somos frágeis. Nem é sobre Fukushima, todo dia pode acontecer alguma coisa. Precisamos repensar nossas atitudes.

Postar um comentário

 

Template by Best Web Hosting