quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Minhas considerações sobre Dom Quixote-Cervantes


Passando pela biblioteca da minha cidade avistei DOM QUIXOTE, em um livro esteticamente lindo e com uma linguagem mais antiga. Decidi aventurar-me mais uma vez nesta leitura que tanto gosto. A primeira vez que o li  era em uma versão adaptada, portanto mais fácil.
Este clássico me fascina pela forma como a aventura de Dom Quixote se conduz e pela época  em que ocorreu.
Considero importante para quem quer ler um clássico já que normalmente os mesmos são mais antigos, conhecer um pouco do universo de quando o livro foi escrito, o autor, isto facilita a compreensão da estória abrindo um olhar diferente.
Quando leio Dom Quixote surgem reflexões sobre a loucura. Como um homem na época em que ele viveu,  com a sociedade ocidental cheia de transformações e ainda muito arraigada em seus valores, conseguiu escapar desta realidade e se aventurar em seus sonhos.
Dom Quixote  aventurou-se naquilo que o fazia se sentir vivo, as Estórias de Cavalarias, mesmo as pessoas ao redor tentando lhe mostrar outra realidade.
Ele conseguiu fazer dos seus sonhos  a própria história da sua vida, ou seja, tornou seus desejos, em sua realidade conseguindo viver as aventuras de que tanto sonhava.
No meu ponto de vista, Dom Quixote nunca esteve louco, como as pessoas acreditavam. A realidade que ele acreditou foi a forma de escapar de uma vida já delimitada pela sua condição social, um senhor fidalgo sem tantas possibilidades de mudanças.
Esta versão precisa de uma certa disciplina e de costume com a escrita. No começo estranhei, mas depois consegui fluir na leitura sem me preocupar com os termos e sim com o contexto.
Para ser sincera minha falta de tempo e o fato do livro ser emprestado, acabou me fazendo perder a leitura em vários momentos. Porém, este fato não tirou a essência da estória.
Espero um dia voltar a lê-lo com mais assiduidade.
Penso ser de muita valia a leitura de Dom Quixote, não por ser um clássico e sim por trazer uma lição importante, o rompimento com um sistema social pela luta de seus sonhos e ideais. Além da leitura ser divertida.
Espero ter conseguido passar minhas considerações sem tanta confusão.
Até.
"O medo que tens- disse Dom Quixote- é que faz, Sancho, que nem vejas, nem ouças às direitas, porque um dos efeitos do medo é turvar os sentidos, e fazer que pareçam as coisas outras do que são". Dom Quixote- Cervantes

4 comentários:

Larissa Ayumi disse...

É mesmo, nunca parei para ler Dom Quixote, mas deve ser legal pelas coisas que li aí no teu post! Também gosto de saber do contexto no qual o livro foi escrito, realmente dá uma iluminada na coisa.

Washington Albuquerque disse...

Ei, este livro é maravilhoso, não é atoa que é um clássico, o tipo de leitura que obrigado o leitor a ter já uma boa bagagem enciclopédica ou ficará perdido rs E tem muito desta história que se aplica filosoficamente nos dias de hoje, amo esse tipo de coisa *.*

Espero que tu possa abraça-lo e rele-lo, garanto que será mais impactante :D
Isso aí.
xoxoxo

Rayani Melo disse...

Amo clássicos e acredita que nunca li Dom Quixote?!
Mas confesso que agora estou super motivada.

As fotos estão uma beleza à parte. E poxa, que blusa mais linda!!! rsrs

Andressa disse...

Larissa, quando você tiver a oportunidade leia, eu gosto muito.
Washington, concordo com você. Quero muito rele-lo.
Rayani, que bom que você ficou motivada a ler. Essa blusinha é do brechó.

Postar um comentário

 

Template by Best Web Hosting